Costa Esmeralda - Trading Company

Importação: como anda o mercado para essa área em 2019?

Importação: como anda o mercado para essa área em 2019?

Importação: como anda o mercado para essa área em 2019?

6 de maio de 2019

Ano após ano, sempre surgem expectativas com relação ao mercado financeiro. Entre tantas engrenagens presentes nesse sistema de relações comerciais, duas merecem atenção: as transações de importação e as de exportação. E no que diz respeito à importação de mercadorias, há motivos para os empresários do setor se animarem em 2019.

Boa parte desse entusiasmo deriva do aquecimento das tratativas entre os parceiros comerciais estratégicos do Brasil. Basicamente, nós estamos falando sobre os Estados Unidos e a China. Em questão de volume de mercadorias, nenhum desses países deve ser ignorado.

Mas como andam as relações entre todos os atores dessas relações comerciais? É o que nós vamos descobrir na sequência. Boa leitura!

Relação entre Estados Unidos, China e Brasil

Fato é que as relações entre esses dois países sofrem alguns estremecimentos de tempos em tempos. Mesmo assim, a relevância para a balança comercial brasileira é inegável.

Em números, os EUA só perdem para a China — quando o assunto é fluxo de mercadorias entre eles e o Brasil. Para se ter uma ideia, o total das transações anuais tem superado a casa dos US$ 25 bilhões.

O atual Governo brasileiro já sinalizou (mais de uma vez, inclusive) que deve flexibilizar a entrada de produtos estrangeiros no país. Como era de se esperar, a notícia foi muito comemorada por Donald Trump, atual presidente dos EUA.

Outro presidente que está gostando do que vê é Xi Jinping, governante máximo da China. O Governo chinês sabe que precisa aproveitar qualquer oportunidade que resulte em um aumento das suas exportações para o Brasil. Até o momento, o total de exportações brasileiras para o território chinês tem ficado bem acima das importações.

Relações entre China e EUA

Apesar de declarar guerra às importações chinesas, o Governo dos EUA não conseguiu diminuir o impacto delas no país. Em agosto de 2018, o total de importações da China para os EUA bateu um recorde histórico.

Isso fez com que os Estados Unidos aplicassem uma política de taxação dos produtos chineses. É importante notar que essas medidas não passam incólume para o consumidor final, que paga mais caro por isso. Tamanha consequência é desinteressante para qualquer uma das nações envolvidas.

Como essa inflação acontece em ambos os países, eles tendem a buscar outras parcerias disponíveis no mercado. Neste cenário, eis que o Brasil aparece como uma excelente fonte de negócios para os dois países em questão.

Prognóstico do mercado de importação no Brasil

Com dois parceiros de peso (China e EUA) interessados em estreitar os laços comerciais com o Brasil, grandes mudanças podem acontecer. Para as empresas importadoras brasileiras, o cenário não poderia ser melhor.

Resta saber como será, de fato, a linha política a ser adotada pelo Governo brasileiro nos próximos acordos comerciais. Em outras palavras, tudo depende da real flexibilização da entrada de mercadorias estrangeiras no nosso país.

A concretização dessas medidas tende a acelerar significativamente o processo de importação de produtos. Assim, o mercado de importação pode ganhar sobrevida em 2019.

Vale lembrar que o melhor prognóstico ainda é direcionado a 2020. Para que a sua empresa se destaque nas importações ainda em 2019, você precisa de uma assessoria especializada em comércio exterior.

Entre em contato conosco pelo WhatsApp e descubra uma solução infalível para alavancar os seus negócios!

Assine nossa newsletter
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
Gostou do conteúdo? Assine nossa newsletter e seja o primeiro a receber novidades!
Nós odiamos spam. Seu endereço de email não será comercializado ou compartilhado com qualquer outra pessoa.

compartilhar